Companhias de tecnologia se mobilizam diante do coronavírus

Em todo o mundo, governos e organizações estão incentivando a mobilização e paralisação para ajudar a conter a disseminação do novo coronavírus, causador da doença chamada de covid-19. Além de órgãos oficiais, também foi requisitado que comércios particulares fechassem temporariamente ou diminuíssem o ritmo de suas atividades.

Tentando aliviar a situação, grandes empresas de tecnologia começaram a realizar ações e projetos que pudessem, de alguma forma, ajudar a disseminar informação ou incentivar que as pessoas  permaneçam em casa. Confira, abaixo, o que algumas empresas fizeram até o momento.

Microsoft

A companhia cofundada por Bill Gates foi uma das primeiras a oferecer seus serviços para ajudar a combater a desinformação. Por meio de um mapa em tempo real, a empresa transmite, de forma gratuita, o número de casos em todo o mundo. Além disso, também é possível conferir o número de casos ativos, recuperados e mortes em cada país, além de ter acesso para as mais recentes notícias sobre a covid-19.

Serviços de streaming

As plataformas de streaming anunciaram que estão realizando alterações na resolução do conteúdo transmitido para ajudar a aliviar os servidores. Netflix, Globoplay, YouTube, Facebook, Disney+ e Amazon estão entre as companhias que anunciaram uma redução de cerca de 25% no tráfego da plataforma, deixando os serviços mais rápidos. Elas apontaram, porém, que os assinantes de seus produtos continuarão recebendo as qualidades de exibição pelas quais pagaram.

Facebook

Além de diminuir a resolução dos vídeos da plataforma, a empresa de Mark Zuckerberg também está mobilizando outras áreas de seu website. Para tentar diminuir a desinformação presente na rede social, a companhia está direcionando usuários a sites oficiais de governos. A rede social também conta, com uma aba denominada “Centro de Informação Sobre o Coronavírus”, para concentrar informações verificadas sobre a progressão da pandemia.

Nintendo

Procurando formas práticas e eficientes de diminuir o número de infectados, a desenvolvedora de jogos, a japonesa Nintendo, distribuiu 9.500 máscaras para residentes da cidade de North Bend, em Washington, nos EUA – onde é localizada uma de suas sedes. A prefeitura da cidade comentou que as máscaras eram para reserva de emergência empresarial, mas que a doação veio em momento de urgência.

Apple

Criadora do iPhone, a Apple, seguiu o mesmo exemplo da desenvolvedora, mas em uma escala maior – a companhia doou cerca de 9 milhões de máscaras para todo o território dos Estados Unidos.

Tesla

O presidente da montadora de veículos elétricos Tesla, Elon Musk, anunciou que a fábrica da empresa em Nova York irá reabrir o mais rápido possível. De acordo com ele, a intenção é produzir o maior número de máquinas de ventilação (também chamados respiradores), para auxiliar os hospitais locais a tratarem dos pacientes que estão hospitalizados com o novo coronavírus. A produção será em parceria com a Medtronic, uma companhia de tecnologia voltada para a área médica nos Estados Unidos. 

Spotify

No caso do aplicativo sueco de streaming de músicas, Spotify, o foco será auxiliar profissionais da música que foram prejudicados, de qualquer maneira, pela pandemia. Em parceria com as instituições MusiCares, PRS Foundation e Help Musicians, a empresa desenvolveu um site para arrecadar dinheiro para organizações que cuidam de artistas em situações precárias.

A cada dólar doado para o site, a empresa dobrará o valor, com o objetivo de alcançar a marca de 10 milhões de dólares para as organizações citadas e demais instituições.

Deixe uma resposta